O Que Fazer Em Paris?

5/13/2020

Um dos motivos de Paris ser conhecida mundialmente como ''A Cidade Luz'' (''La Ville-Lumiere'', em francês) é devido às milhares de lâmpadas que iluminam os vários monumentos, prédios e fontes durante a noite, incluindo a Torre Eiffel, o principal marco da cidade, que, ao anoitecer, destaca-se em meio aos imponentes e grandes prédios parisienses com suas mais de 20 mil lâmpadas piscando a cada hora. Dessa forma, é difícil não se encantar com a capital francesa em suas primeiras horas por lá. No entanto, há muitas outras coisas tão encantadoras quanto as luzes na capital francesa, e eu destaco algumas por aqui.



Centro Georges Pompidou 

Esse complexo, que leva o nome do presidente da França entre os anos de 1969 e 1974, reúne o Museu Nacional de Arte Moderna, a Biblioteca Pública de Informação, o IRCAM (um centro para música e pesquisas acústicas, entre outros centros culturais. 

 
Inaugurado em 1977, o complexo teve sua arquitetura duramente criticada em um cenário de crise da arquitetura moderna, por conta de seu estilo arrojado, com tubulações aparentes, escadas rolantes externas e uma estrutura completamente de aço. Esse centro está localizado no 4° arrondissement de Paris, e é cercado por bons restaurantes, incluindo o que eu jantei, praticamente em frente ao complexo. 


Rue Mouffetard e Place Monge

A Rue Mouffetard, localizada no 5° arrondissement de Paris, é uma rua lotada de restaurantes, desde os mais baratos, como simples cafés, até alguns mais sofisticados. No entanto, a maioria dos estabelecimentos por lá estabelece dois à três tipos de "Menu du Jour'' (menu do dia) com diferentes faixas de preço. Normalmente os mais baratos, por volta de 10-12 euros, incluem apenas a entrada e o prato principal ou a sobremesa e o principal. Em um segundo estágio, por volta de 14-16 euros, os menus contam com a sequência completa com os três pratos, e contam com cerca de duas ou três opções para cada um deles. Já os mais caros custam a partir de 20 euros e oferecem maior variação de pratos, incluindo peixes e carnes mais caras. Em qualquer uma dessas opções você terá uma ótima refeição e, com certeza, um ótimo passeio.


Em uma das travessas dessa rua, está a Place Monge, onde fica a estação de metrô (que leva o nome da praça) indicada para utilizar quando for visitar a praça e a rua ao lado. Aos finais de semana, há uma feira com diversos artigos de artesanato, peixes, saladas e molhos, onde é possível conhecer mais da cultura local em um lugar não muito frequentado por turistas. 



Boulevard Saint-German e Quartier Latin

Atravessando os 5°, 6° e 7° arrondissement, chegando até a Pont de La Concorde e sendo paralela do Rio Senna, a Boulevard Saint- German é uma das principais ruas da capital francesa, abrigando sofisticados edifícios, hotéis tradicionais e restaurantes estrelados. Em um dos pontos em que a rua se oferece maior opção de restaurante, ela atravessa o Quartir Latin (5°ème), que mesmo próximo à badalação da Boulevard Saint-German, conta com uma certa tranquilidade, sendo um bom bairro para se hospedar. Além disso, esse bairro conta com belas construções e atrações, como a Universidade de Sorbonne (e os diversos cafés frequentados por estudantes), a livraria Shakespeare & Company, e o imponente Panthéon.




Sacré Cœur 

A caminhada até a Basílica é longa e cansativa, uma vez que é preciso subir muitos degraus para atingir o topo de Monte Matre (ponto mais alto de Paris), mas, ao chegar lá, todo o esforço é recompensado com a vista quase que 360° de Paris, além da construção imponente da Sacre Cœur e das várias lojas e restaurantes que funcionam lá por cima. A Basílica é o templo da Igreja Católica Romana em Paris, e é constituída por de quatro cúpulas e tem a forma da cruz grega. Ao redor da parte frontal da Basílica, há um belo jardim que oferece um momento de paz para observar uma das maiores cidades do mundo.



Champs-Élysées

Essa avenida é uma das mais famosas em todo o mundo, e, ao caminhar por seus quase dois quilômetros de extensão, é fácil entender o porquê desse prestígio mundial. A combinação de paisagismo perfeito feito nas árvores de castanheiros-da-índia que acompanham a avenida, as lojas de grife com uma decoração extremamente elegante, e os restaurantes com as mesas nas calçadas mostram todo o charme e luxo parisiense. Falando em luxo, essa avenida é a segunda mais cara de toda a Europa para se viver, atrás apenas da Bond Street, em Londres, com aluguéis ultrapassando a marca de 1 milhão de euros anuais. O passeio por essa avenida é um dos mais importantes de toda a cidade, uma vez que, em uma das pontas, está o Museu do Louvre, e do outro lado, o Arco do Triunfo. Ao longo da avenida, e em suas transversais, há várias estações de metrô, tornando o deslocamento até lá muito prático e rápido.




Torre Eiffel 

O ponto turístico mais famoso da capital francesa não poderia ficar de fora dessa lista, uma vez que, mesmo lotado de turistas tumultuando ao redor, é uma experiência única. A Torre Eiffel é um monumento de tirar o folego até mesmo de quem já viu diversas fotos e vídeos na internet dessa construção. Para chegar próximo dela, para comprar os bilhetes para subir, por exemplo, é preciso passar por um monitor de raio x que fica na divisão da barreira de vidro montada ao redor da torre. Passado disso, é possível comprar o bilhetes caso não tenha comprado online e ir para a fila dos elevadores caso seu ingresso inclua a subida por eles. A visitação da torre pode ser feita em duas etapas. A mais barata inclui apenas o 2ème étage, que fica mais ou menos no meio da torre. De lá já é possível ter uma bela vista da cidade, além de ter um restaurante, cujo acesso só é permitido com uma reserva prévia, e uma loja com alguns souvenirs de lá. No entanto, é a visita mais cara que permite acesso ao Sommet, o topo da torre, que oferece a melhor vista da cidade. 


Recomendo visitar a torre em um horário próximo no fim da tarde, cerca de uma ou dua horas antes de anoitecer. Isso porque assim é possível fazer toda a visitação da torre e do parque ao redor, e contemplar as luzes da torre se acendendo e piscando durante os 5 primeiros minutos de cada hora cheia assim que a noite chega. No inverno ela começa a brilhar por volta das 18h, já no verão, por ter dias mais longos, começa a brilhar apenas a partir das 22h. 

Em Paris há sempre algo para fazer, seja conhecer um novo ponto turístico, ir à um novo restaurante, fazer compras nas mais diversas galerias, como a Galeries Laffayete, ou apenas caminhas pelas ruas conhecendo a fundo a história local. Seja qual for seu objetivo de viagem, Paris agrada à todos. Boa viagem!

Você também vai gostar

0 comentários