Viajante Consciente: Garrafas de Plastico

8/16/2019

Viajar faz você ter visões diferences sobre assuntos que você já esta acostumado. Quando fui para o Canada, percebi que as pessoas tem uma visão mais consciente sobre o impacto que elas causam na natureza e esse modo de pensar me fez refletir enquanto eu estava la.


Fui para Montreal e passei um mês lá estudando francês. Desde a minha primeira semana estava sentido falta de uma garrafinha d'água, principalmente durante as aulas ou quando estava fazendo uma caminhada mais longa e ficava cansado. Mas a minha host mother sempre me dava uma garrafinha de água pela manhã e isso resolvia o meu problema. Na escola, eu enchia ela e quando eu queria beber água, mas estava na rua, eu comprava uma nova. Foi assim durante duas semanas...

Por algum motivo eu guardava as garrafinhas e depois de um tempo começou a ficar com uma cara de coleção. Eu estava orgulhoso da minha coleção de garrafinhas de água, porque eu olhava para elas e via que eu estava bebendo muita água durante a viagem. Isso é bom!


Até que um dia, durante minha aula de conversação, o professor estava escrevendo no quadro tópicos que a gente ia conversar durante a aula, e estava todo mundo calado, menos eu e minha amiga, que estávamos conversando baixinho. Ai de repente, o professor fala em francês: Vitor, eu estou chateado com você. Eu olhei confuso para ele e perguntei porque (eu achava que era porque eu estava conversando, mas como a aula ainda não tinha começado, eu não estava atrapalhando ninguém). Ele respondeu que é porque eu estava com uma garrafinha de água de plastico! Foi ai que tudo mudou.

O professor começou a explicar, em francês, que essas garrafas de plastico não são boas por vários motivos.

1) Água é de graça;

2)Vender água desse jeito é um modo que as grandes empresas conseguiram  para ganhar mais dinheiro;

3) Produção de plastico atoa.

Eu entendi o ponto de vista dele, mas depois que ele passou um vídeo ficou mais claro. 

A aula acabou e eu fui logo depois comprar uma garrafa de água que eu pudesse usar todos os dias, porque aquela minha coleção de garrafas de água que me fazia orgulhoso, estava me fazendo ficar com vergonha. Fui na Dollarama e comprei uma bem baratinha por 4$.

No início da aula do dia seguinte, durante a chamada, quando o professor chamou o meu nome, eu não respondi, porque estava "ocupado" bebendo água na minha nova garrafa. Ele olhou pela sala para ver se eu tinha faltado e quando me viu, me deu parabéns!

Durante a viagem não foi difícil manter a garrafa cheia. Eu sempre enchia ela de manhã, durante o recreio e quando saia da escola também. Durante o dia, sempre que eu ia num shopping ou até mesmo em um museu ou parque tinha bebedouro para encher!

Fiquei com a minha garrafa até o restante da viagem e até trouxe para o Brasil, onde ela está cumprindo o seu papel perfeitamente. 

Dependendo do país que você estiver pode ser até mais fácil fazer isso. Em muio lugares a água de torneira (chamada de tap water) é potável! Então você pode encher na pia do seu quarto do hotel!

Em Montreal por exemplo, que era a cidade onde eu estava, era muito comum os restaurantes servirem água logo que você sentava na mesa, mesmo sem você pedir, por ser um agrado, mas também porque todo mundo bebe e é de graça.

Outra coisa bastante interessantes que eu reparei lá são os bebedouros só para encher a garrafa. Eles eram automáticos, apenas encostava a garrafa perto e a água saia, fora que tinha um contador mostrando quantas garrafas de plasticou aquele bebedouro ajudou a evitar.


E é ai que entra aquela velha historia, se cada um fizer a sua parte, a gente consegue fazer uma grande diferença, mais de 205.000 em apenas 1 bebedouro!


Como viajantes, a gente causa impacto no mundo em todo lugar que a gente vai. Por isso é importante termos consciência das nossas ações para causar o mínimo de dano à natureza.

Você também vai gostar

0 comentários